domingo, 10 de abril de 2011

TV

COLUNA TV

CAROLINA DIECKMAN NÃO DEIXA FILHOS ASSISTIREM TV:

Que isso, gente? Isso não vai dar em nada. Há algumas décadas, quando se trancafiou com a Cabala, Madonna veio com o mesmo papinho. Hoje, Lourdes Maria, também conhecida como Lola, a Rebelde, já mandou a mamma catar coquinho...

Logo chegará o dia da Carol....Mas por hora, ela conseguiu o que queria: Causar!

MACHO MAN :

Só mesmo sendo muito amigo do Jorge Fernando, pra achar esse seriado medíocre seja digno de nota....

NOVELAS CURTAS:

Também já escrevi algo a respeito, lá no meu debut de Portal. Não é de hoje que os autores travam essa batalha junto  à emissora.

Lembro-me de Glória Perez defendendo essa tese nas priscas eras da década de 90. De lá pra cá, as novelas estenderam-se mais que mega hair em cabeça de BBB....

Se a memória não me trai, apenas Gilberto Braga conseguiu algum resultado: "Paraíso Tropical" ficou seis meses no ar, e "Insesato Coração" - ao que parece - seguirá a mesma linha.

Manoel Carlos também é defensor da idéia, mas as histórias de suas Helenas arrastam-se - pelo menos nos últimos tempos - por intermináveis 220 ou 240 capítulos. Haja paciência.

Eu, como um relés roteirista genérico, seguro essa bandeira e concordo com os argumentos do Lauro César Muniz.

A meu ver, o telespectador se desorienta com tantas tramas paralelas, com um número tão vultoso de personagens que, sem exagero, poderiam dar "vida" a pelo menos  mais duas novelas.

Ivani Ribeiro sempre foi econômica, tudo bem que os tempos eram outros. Vide "A Viagem" e "A gata Comeu".

Na década de 80 - no meu modesto ponto de vista - a era mais promissora das telenovelas - os autores, recém- saídos ou não dos tempos de ditadura, haja vista o ano de algumas produções, descarregaram todo seu poder criativo em tramas que paralisaram o país, sem um casting digno de odisséia. Talvez alguém franza o cenho e dispare: "Não existia o advento da internet, nem a TV a cabo, nem tantas emissoras produzindo".

Concordo. Mas também não existiam tantos aparelhos de TV, mas as pessoas migravam para as casas de seus parentes ou amigos mais abastados, pra acompanharem determinada história, simplesmente porque a qualidade era outra. A telenovela sempre fora um fator sociabilizador, hoje, nem tanto.

Também hoje, com raríssimas exceções, muitos autores agarram-se em determinadas "muletas" e não largam nem com reza brava. O público está farto das mesmas tramas. Mas sobre isso, já debatemos aos cântaros.

No frigir dos ovos, torcemos pra que o talento vença o dinheiro.

Será?

Alex Spinola.

2 comentários:

Arriégua disse...

FALA MANO ALEX...

SERÁ QUE A CAROL DEIXA O FILHO ASSISTIR O CHAPEUZINHO VERMELHO?HEHEHE

ALEX SPINOLA disse...

ARRIÉGUA QUEREEEEEDO,

pRA QUE O MOLEQUE PRECISA ASSISTIR CHAPEUZINHO VERMELHO SEW TEM O LOBO MAU EM CASA?

KKKKKKKKKKKKKK

BEM-VINDOS!!!!

Estejam por dentro daquilo que eu penso!